segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A vida

Globalização


O texto a seguir foi escrito há mais de 30 anos e já apontava para o comportamento da sociedade em um mundo globalizado.

O que fazemos quando viajamos? Procuramos logo um Shopping com suas lojas, restaurantes e lanchonetes conhecidas?

A desterritorialização da cultura

Enzensberger (ENZENSBERGER, H. M. Com raiva e paciência. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1985) conta a história de um executivo alemão que foi mandado à China para projetar uma grande instalação industrial. Durante algumas semanas, devido às exigências de sua profissão, ele se vê obrigado a viver uma experiência amarga. Não fala chinês, desconhece os costumes locais, ressente-se da falta dos automóveis, encontra-se na contingência de partilhar um modesto quarto de hotel com outro viajante qualquer. De retorno a Hong Kong, sua conexão para voltar à Europa, respira aliviado. A paisagem que o cerca é sua velha conhecida. Mas por que um alemão sente-se em casa em Hong Kong? O que lhe é tão familiar neste lugar longínquo?

A história de Enzensberger, talvez uma fábula, recoloca o tema da desterritorialização. [...]
[...] Nos pontos mais distantes, Nova York, Paris, Zona Franca de Manaus, na Ásia ou na América Latina nos deparamos com nomes conhecidos – Sony, Ford, Mitsubitschi, Phillips, Renault, Volkswagen. 

Qual o significado disso? Que a mundialização não se sustenta apenas no avanço tecnológico. Há um universo habitado por objetos compartilhados em grande escala. São eles que constituem nossa paisagem, mobiliando nosso meio ambiente. 

As corporações transnacionais, com seus produtos mundializados e suas marcas facilmente identificáveis, balizam o espaço mundial. Biscoitos Nabisco, iogurte Danone, chocolate Nestlé, cerveja Budweiser, tênis Reebok  mapeiam nossa familiaridade. Sem essa modernidade-objeto, que impregna os aeroportos internacionais (são idênticos em todos os lugares), as ruas do comércio (com suas vitrinas e mercadorias em exposicão), os móveis de escritórios, os utensílios domésticos, dificilmente uma cultura teria a oportunidade de se mundializar. É a esta presença cheia, de um espaço desterritorializado, que Enzensberger serefere. 

A China Popular, para nosso executivo alemão,é um "mundo" distante, inóspito. Em seu território, tudo lhe é estranho. Em contrapartida, Hong Kong r representa algo próximo, um recanto povoado por coisas de sua vida prosaica (hotéis, padrão de refeição e de conforto, táxis etc.). 
Envolvido por uma miríade de objetos-mobílias, ele sente-se à vontade neste mundo-mundo. Familiaridade que se realiza no anonimato de uma civilização que minou as raízes gráficas dos homens e das coisas. (ORTIZ, Renato. Mundialização e Cultura. São Paulo, Brasiliense, 1994. p.105, 107-108)

E você se identificou com o alemão?



Fonte: Livro de Maria Lúcia A. Aranha e Maria Helena P. Martins "Filosafando, introdução à filosofia"

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Viagem de Descoberta

Pão Doris Grant


Ingredientes

225g de farinha de trigo branca (mais ou menos 2 xícaras rasas)
225g de farinha de trigo integral (mais ou menos 2 xícaras rasas)
10g fermento biológico seco
1 c (sp) de mel ou açúcar
1 c (chá) de sal
300ml de água morna
Leite para pincelar o pão
10 pedras de gelo

Modo de Fazer

Untar e enfarinhar uma forma, reservar.
Peneirar as farinhas e reservar os grãos.
Misturar os ingredientes secos, fazer um buraco no meio e colocar a água. Misture com uma colher primeiramente e depois mexer com as mãos deixando no formato do pão.
Coloque na forma, cubra com um filme e deixe em lugar quente por mais ou menos 1 hora.
Pré-aqueça o forno a 220 graus com uma forma fazia na grelha de baixo do forno.
Faça uns cortes no pão, pincele o leite e coloque os grãos reservados por cima do pão.
Coloque o gelo na forma quente que está dentro do forno e coloque o pão para assar.
Depois de 10 minutos reduza a temperatura para 100 graus
Assar por mais ou menos 30 minutos
Quando terminar de assar deixar mais 5 minutos em temperatura de 240 graus.



Receita daqui:Lorraine Pascale  https://www.youtube.com/watch?v=J2rOge5OMUE


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Novos Olhos

Síndrome do Sapo




De acordo com o mito se você colocar um sapo numa panela de água fervendo ele pula fora e salva a própria vida. Mas, se você colocar o sapo numa panela de água fria e for esquentando a água aos poucos, ele não percebe a mudança da temperatura e morre cozido.

Mas porque o sapo não pula quando a água começa a ficar quente?
Será que ele não sente que a água esquentou?

Vamos tomar a personalidade dele, enquanto água está esquentando, e verificar o que se passa na cabeça do sapo.

·         28 Graus - Humm que água gostosa...

·         32 Graus - É... a água está boazinha...

·         36 Graus - Esta água está ficando sem graça, será que está esquentando? Bobagem! Por que a água iria esquentar? Deve ser impressão minha.

·         38 Graus - Estou ficando com calor... Que droga de água! Ela nunca foi quente, por que está esquentando?

·         39 Graus - Essa água é uma porcaria! Melhor nadar um pouco em círculos até a água esfriar de novo.

·         40 Graus - Esta água é muito quente , humm que ruim! Vou voltar lá para aquele lado que estava mais fresco ou será que é melhor esperar um pouco?

·         42 Graus - Realmente, esta água está péssima, quente de verdade, tenho que falar com o supervisor das águas. Claro, eu podia pular fora, mas onde será que vou cair? Melhor esperar só mais um pouquinho.

·         43 Graus - Meu Deus! Será que eu tenho que fazer tudo por aqui? Já reclamei e ninguém toma uma atitude?

·         44 Graus - Mas este supervisor de águas não faz nada? Será que ninguém nota que a água está super quente? Vou esperar mais um pouco...

·         45 Graus - Se ninguém fizer nada eu vou fazer um escândalo.... Aiiiii que calor!

·         46 Graus - Eu devia ter pulado fora quando eu tive oportunidade, agora é tarde. Estou sem forças.

·         48 Graus - "sapo morto"

Moral:  devemos mudar as situações que incomodam antes que elas nos destrua.





Fonte:  textosmeditativos.blogspot.com.br

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Conhecer a si próprio

A Prece Vespertina


De todas as minhas pobres derrotas e oh! de muito mais eu sei,
De todas as vitórias que aparentemente conquistei,
Da sagacidade que em teu favor demonstrar consegui,

À qual, enquanto pranteiam anjos, o auditório ri;
De todos os meus esforços, para a tua divindade provar,
Tu, que não concedeste um sinal, vem me livrar.

Pensamentos como moedas são. Que eu não confie, em lugar
De confiar em Ti, na imagem gasta de tua face neles a brilhar.
Dos pensamentos todos, até os que de acerca de Ti venha a ter,

Ó tu, Belo Silêncio, cai e vem libertar meu ser.
Do fundo da agulha e da estreita porta o Senhor,
Livrar-me vem do vão saber para a morte não ser meu penhor.


C.S. Lewis

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Carqueja


Mais um chá que eu costumo tomar, a carqueja, tem muitas propriedades benéficas à saúde. Mais conhecida por seu sabor amargo, porém existe também a carqueja que não é amarga, que por sinal tem um sabor suave e com as mesmas propriedades.

É antitérmica e baixa o nível da glicose no sangue. Auxilia no tratamento de afecções gástricas, intestinais, hepáticas, biliares, febris e também atua na purificação do sangue. Seus benefícios se dão, principalmente, pelos compostos fenólicos, saponinas, flavonas e flavóides.


É um ótimo digestivo. Vale a pena experimentar

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Pense como um sábio

Eu...

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho,e desta sorte
Sou a crucificada … a dolorida …

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!…

Sou aquela que passa e ninguém vê…
Sou a que chamam triste sem o ser…
Sou a que chora sem saber porquê…

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!


Florbela Espanca

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Aprendizagem

Crise: Manual de Sobrevivência



Tanto se fala em crise no Brasil que às vezes aparece àquela insegurança, então antes que o estresse apareça, cuide-se. 

Fique calmo, tenho um sono tranquilo, cuide da saúde, são algumas dicas.

15 Medidas para garantir disposição física e mental durante a crise


1.       Descanse das telas: À noite maneirar o uso de celular, tablets, equipamentos com luzes refletidas e nada de levá-los para a cama.
2.       Limpeza para dormir em paz: Não cancele a faxina para economizar, pois a poeira piora a rinite.
3.       Não desconte no copo: Bebida alcoólica piora a qualidade do sono
4.       Por uma ceia mais leve: Não economize deixando para comer somente quando chegar em casa altas horas. Isso estorva o sono e gera refluxo.
5.       Leia para desligar: Antes de dormir desacelere. Leia, ouça musica ou  veja tv, mas fora do quarto.
6.       Não deixe de suar: Exercício físico melhora o sono. E se possível troque a academia pelo parque.
7.       Que tal um curso gratuito: Estar bem preparado pode ser um diferencial no mercado de trabalho. Além de se qualificar afasta as ideias ruins.
8.       Socialize: Compartilhe a crise. Reunir amigos e familiares para conversas descontraídas pode ajudar e trazer calma.
9.       Medite: Qualquer tipo de meditação é boa. Desligue as luzes, ouça música calma e tranquila.
10.   Economia Doméstica: Analise seus gastos, corte o supérfluo, mas não abdique da saúde.
11.   Não deixe de se tratar: Priorize seu dinheiro com gastos para se livrar das doenças. Lembre-se que isso é investimento.
12.   Tente se divertir: É possível, mesmo com dinheiro curto. Vida não é só obrigação.
13.   Investimento Vegetal: Apesar de muitos legumes, verduras e frutas estarem mais caros vale a pena investir, pois esses alimentos blindam seu organismo. Procure alimentos da época.
14.   Nada de desperdícios: Casca, talos e sementes guardam muitas vitaminas e devem ser aproveitadas.
15.   Olho na Pressão: Para prevenir é bom medir a pressão de vez em quando e caso esteja alta procure um médico.




Fonte: Revista Saúde de outubro de 2015

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Deslizar Facilmente Pela Vida

Qual o melhor óleo de cozinha?



Entendendo os ácidos graxos:

Saturados: Presentes em carnes gordas, banha, manteiga, palma, cacau, laticínios, coco, etc. Deve ser limitada a menos de 10% do total de ingestão calórica. Aumentam o colesterol total e a LDL.
Monoinsaturados: Presentes no azeite de oliva, canola, açaí, abacate e frutas oleaginosas (amendoim, castanhas, etc.). Diminui o LDL e o colesterol total.
Poli-insaturados: Presentes nos peixes, óleos vegetais (girassol, soja, milho, canola, açafrão, algodão, gergelim, etc.) e nas frutas oleaginosas (castanhas, nozes, avelãs, etc.). Diminuem a concentração de colesterol na LDL, possuem efeito anti-inflamatório sobre as células vasculares, inibindo a expressão de proteínas endoteliais pró-inflamatórias. São os ácidos graxos essenciais, que o organismo não produz, necessitando serem incorporados na dieta. Têm papel importante no transporte de gorduras e na manutenção da integridade das membranas celulares.



ÓLEO                    SATUR                  MONO                 POLI
CANOLA              8%                         61%                       31%
COCO                   92%                       6%                         2%
MILHO                 15%                       28%                       57%
GIRASSOL           13%                       22%                       65%
SOJA                     16%                       24%                       60%
PALMA                50%                       39%                       10%
AZEITE                  15%                       74%                       10%


Pelo quadro a melhor opção é o óleo de girassol e o azeite, é claro, por causa de outros benefícios.


Para não errar meu conselho é variar e diminuir o consumo.





Fonte: Revista Saúde: Outubro de 2015 e sonutricao.com.br

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Seja quem você é

Adiamento

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã...
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não...
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico...
Esta espécie de alma...
Só depois de amanhã...
Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-rne para pensar amanhã no dia seguinte...
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos...
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o rnundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã...
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro...

Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã...
Quando era criança o circo de domingo divertia-rne toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância...
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital...
Mas por um edital de amanhã...
Hoje quero dormir, redigirei amanhã...
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo...
Antes, não...
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.
Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.
Só depois de amanhã...
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã...
Sim, talvez só depois de amanhã...

O porvir...
Sim, o porvir...


Fernando Pessoa


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Amor

Boldo


O boldo é uma planta medicinal, também conhecida como boldo-do-chile, boldo-afragans ou boldo-verdadeiro, muito utilizada como remédio caseiro para o fígado.
O nome científico do boldo é Peumus boldus Molina e pode ser comprada em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação.

Mas é possível ter em casa. Eu tenho um pé de boldo plantado em um vaso. O boldo não precisa de cuidado especial, a única coisa é podar porque ele cresce muito.

Eu sempre uso macerado, principalmente se como muito doce.

Colher umas 3 folhas, lavar, tirar as hastes, macerar em copo, colocar a água e tomar.


O boldo serve para tratar má digestão, problemas do fígado, litíase biliar, gota, obstipação, cistite, flatulência, dor de cabeça e suores frio.


Propriedades do boldo
As propriedades do boldo incluem sua ação estimulante da vesícula biliar, diurética, antiespasmódica, anestésica, anti-séptica, antibacteriana, anti-inflamatória, antioxidante, depurativa, desintoxicante, estimulante, sedativa, tônica e vermífuga.





Fonte: http://www.tuasaude.com/boldo/

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Comer Pouco

Crotalária


Sim, não se tem comprovação cientifica que acaba com a dengue, mas se tiver espaço plante uma Crotalária, pois mal não vai fazer e como recompensa o jardim ficará bonito.

Será verdade?
O biólogo Paulo César Franco explicou como a planta pode ajudar no combate à dengue. “A planta vai atrair os mosquitos e a libélula vem para predá-lo. E se estiver próximo a água, as larvas da libélula também vão predar as larvas do Aedes aegypti”, contou.
Mas segundo o biólogo, não há estudos científicos que comprovem a redução no número de mosquitos por causa da crotalária. “É mais uma tentativa. É importante lembrar que não há pesquisa científica que comprove esta eficácia a fim de que as pessoas confiem plenamente neste método”, ressaltou.

Mais Detalhes
A crotalária é uma planta leguminosa, que vem sendo conhecida por seu diferencial em acabar com o mosquito da dengue. Usada comumente por agricultores como adubação verde e no controle de solos, a crotalária é conhecida por sua grande capacidade de atrair as libélulas, insetos voadores que se alimentam das larvas e também dos mosquitos adultos AEDES AEGYPTI, (o mosquito transmissor da dengue) assim como outros tipos de pernilongos.
Conhecida dos agricultores, por sua característica de ajudar a polinização de lavouras como por exemplo a soja e também o maracujá, já que suas flores atraem além das libélulas, que fazem a polinização, aumentando o volume de frutos por pé, e também por sua grande quantidade de oxigênio que faz dela o adubo verde ideal para lavouras e hortas, sendo que controla o nematoide nas lavouras e também em jardins e quintais (a falta de oxigênio do solo).
Bem com todas essas vantagens é aconselhável ter em nosso quintal ou jardim algumas crotalárias para ajudar até mesmo no combate ao terrível AEDES AEGIPTI, e também como adubação orgânica para as outras plantas.


Fonte: (g1.globo.vom e olacomovai.com)

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Arte de Viver

Suco Depurativo

Rende 2 porções de 60 notas cada

Sua pele vai ficar ótima!

O inhame tem carboidratos, cálcio, ferro, fósforo, vitaminas do complexo B e amido.
A laranja tem vitamina C, flavonoides e betacaroteno.
A cenoura vitamina A e betacaroteno

Ingredientes
1 cenoura pequena
1 inhame cru pequeno
1 laranja com bagaço
500 ml água filtrada
Adoçante

Modo de Fazer
Bater todos os ingredientes no liquidificador.



segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Amor

A Gralha e os Pavões


Uma Gralha, pediu emprestadas algumas penas dos Pavões e passou a desprezar as outras gralhas, andando apenas junto com os Pavões. Depois de um tempo, os Pavões pediram suas penas de volta, mas como estivessem enfiadas no couro da Gralha, bicaram-na até arrancá-las, fazendo com que a Gralha ficasse machucada e sem as suas próprias penas. Nesse estado, buscou as outras gralhas, ainda que com temor e vergonha; elas lhe disseram: - De nada te valeu rejeitares a tua natureza, querendo ser o que não eras. Agora aqui estás, pelada, ferida e envergonhada.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Insanidade

Isto

Dizem que finjo ou minto
Tudo que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.

Sentir? Sinta quem lê!

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Alegrias

Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que leem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.


Fernando Pessoa

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Culpados

Carta de Amor


Carta de Amor encontrada no Setor de “Achados e Perdidos” do Metro de São Paulo.

Rio de Janeiro, 10 de maio de 1930

Estive esta noite meditando longamente sobre a história do nosso amor. História complicada, cheia de lances trágicos, um verdadeiro romance.
                Nós podemos nos considerar felizes e dizemos que de fato nos amamos.
                Tudo procura nos separar e nosso imenso amor, nascido espontaneamente em nossos corações, é alimentado pelo desinteresse e pela sinceridade de nossas almas, minado pelo nosso grande afeto, cresceu e tornou-se essa inexpugnável fortaleza que a tudo resiste com galhardia.
                Invejas, tristezas, desgostos e contrariedades, tudo vem morrer de encontro à muralha maciça e inatingível do nosso amor, cujos alicerces, cavados na rocha viva da sinceridade, resistem às tempestades da maledicência e ao assopro dos ventos maus dos invejosos.
                Não é como quase todos os amores, cujas bases assentadas na areia do interesse e da hipocrisia, ao menor sopro se desfazem.
                Carol, és o meu ídolo, para você são todos os meus pensamentos, todas as minhas esperanças, e se algum dia eu sucumbir sem conseguir realizar o meu ideal, quero que você sempre tenha um pensamento para este que teve por você um tão grande amor, e que na eternidade continuará a te amar sempre com mais amor.
                Sofro porque não posso te ver a todo instante, sentir o bafo quente e perfumado de tua boca, ouvir a tua voz cristalina e nobre, mirar o teu corpo esbelto e flexível de fidalga.
                Tenho esperança em Deus que este sofrimento em breve terá um fim.
                Beijo-te carinhosamente.
                               Teu
                                               Altair

Matéria publicada na Revista do jornal “Diário Popular”e depois exibida no Jornal São Paulo Já (atual SP-TV) de 1992 que encontrou a dona da carta, dona Carol.


Fonte: Cartas de Amor Eternas e Ternas, Rosa Maria Mijas Beloto

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Amor

Picolé de Ameixa e Iogurte

Rende 4 porções de 65 notas cada



Ingredientes

2 unidades de iogurte natural
100g de ameixa seca sem caroço
2 colheres (sopa) de adoçante culinário

Modo de Fazer

Bater todos os ingredientes no liquidificador e distribuir em forminhas de sorvetes. Levar ao congelador por aproximadamente 3 horas.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Inteligência

Mestre Cuca


Mestre Cuca (corruptela de Mister Cook) existiu realmente.

Segundo a opinião unânime dos que o conheceram, foi o mais fabuloso cozinheiro de todos os tempos. Personagem que, para os leitores de Seleções do Reader's Digest, se convencionou chamar de tipo inesquecível, pelas estranhas contingências da vida que levou.

Menino pobre, começou muito cedo a lutar pela vida ajudando a mãe viúva no sustento da casa e criação dos irmãos menores. Vendia pastéis e empadinhas na Estação, à hora da passagem dos trens. À noite, à porta do cinema ou do circo (quando este aparecia na cidade), lá estava ele com o seu tabuleiro de cocadas. E foi assim que, ajudando a velha mãe, quituteira emérita, aprendeu os segredos das massas podres e dos pontos de bala.

Seus irmãos estudaram, aprenderam ofícios e conseguiram bons empregos. Ele não estudou.
— "Cadê tempo?"
Assim justificava a ignorância das letras, que, afinal, não continuaram estranhas ao nosso autodidata, com o correr dos anos.
Quando a mãe morreu, deixou de lado o cesto dos pastéis e o tabuleiro das cocadas, embarcando no primeiro trem para a Capital.

A vida nos grandes centros não era tão difícil quanto hoje. Conseguiu logo o emprego de ajudante de cozinheiro numa birosca do Brás. Do modesto restaurante popular, passou para a cozinha de um clube de jogo. Aí, nas folgas entre o jantar e a ceia, aprendeu a jogar. Ensaiou as primeiras apostas e foi ser feliz. Sempre pela mão de pessoas diferentes, jogou forte e ganhou!
Com o dinheiro mal ganho no jogo montou seu próprio restaurante, de efêmera duração, pois, o azar das cartas levou de volta ao banqueiro as economias e, o que é pior, as instalações do incipiente negócio.

Retorna à modesta função de ajudante de cozinha. Não havia como escolher coisa melhor, pois, nesta altura dos acontecimentos, já estava casado e era pai de dois filhos. Trabalhava num bar junto a uma casa de apostas em corridas de cavalos — ximbica, como é designada na gíria turfista.

Mestre Cuca — já era esse o seu apelido — não resiste à tentação do Derby. Como sempre acontece aos novatos, suas primeiras apostas renderam-lhe o necessário para montar novo restaurante, bem mais modesto, entretanto, que o anterior. Chegara à idade da razão, e, num momento de clarividência, abandona as apostas antes de se tornar um catedrático como tantos outros entendidos, mas arruinados. E ficou rico!

Envelheceu na cozinha, mas seus filhos, tal como sucedeu aos seus irmãos, não tomaram conhecimento nem sequer do trivial variado. São guarda-livros, funcionários públicos, etc.

Perguntado, certa vez, sobre o segredo de sua cozinha, sempre saborosa, informou ao curioso que o segredo da boa cozinha é não ter segredos! Simplificara as receitas — isto por trabalhar durante muitos anos em recintos exíguos e sem conforto — e, concluía, que tudo que se pode fazer com um mínimo de produtos e utensílios. Nada de malabarismos culinários. As melhores receitas, muitas vezes, são as mais simples.

Eis o segredo de Mestre Cuca!



terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Fim do Mundo

A Rã e o Touro



Um Touro, passeando na beirada do rio, por acidente pisou numa ninhada de pequenas rãs esmagando uma delas, ferindo-a gravemente. A Rã, mãe da ninhada, ao dar pela falta de um dos filhotes, perguntou aos outros o que acontecera. Eles procuraram descrever o ocorrido, dizendo um deles: - Há poucos minutos uma besta enorme pisou na nossa irmã. Outro filhote disse:

- Era mesmo enorme e tinha quatro patas muito grandes.

Um outro disse:
- Era uma besta enorme, tinha mesmo quatro patas muito grandes que tinham uma rachadura.

A Rã mãe começou a comer e inchar-se com o vento, perguntando aos filhotes se era já tão grande como diziam, ao que respondiam que não. A Rã voltou a colocar mais força para inchar ao que os filhotes disseram que faltava muito para igualar-se ao Touro. Tanto inchou a Rã que veio a arrebentar-se. Um besouro, que a tudo assistia, pensou:


 - É verdade que, na maioria das vezes, as coisas insignificantes desviam nossa atenção do verdadeiro problema.


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Alegria

Bananas, a fruta com mais nutrientes


As bananas, que se tornaram tão populares entre nós, são o fruto da bananeira tropical (Musa paradisíaca) e da sua forma cultivada (Musa sapientium).
A banana é um alimento muito importante nos trópicos e um grande artigo de exportação. Infelizmente nem todos chegam a saborear o gosto das bananas amadurecidas em fresco e naturalmente. As de exportação são colhidas verdes, amadurecidas artificialmente nos portos importadores. Mesmo assim, constituem tanto para as pessoas sãs como para as doentes um fruto de qualidade excepcional.

Composição — Ao passo que o conteúdo em hidratos de carbono da batata consiste, exclusivamente, em amido, a banana madura apenas tem frutose e glicose (açúcar invertido) e nenhum amido.
Possui potássio, cálcio, vitaminas A, C, B1, B2, B6, B12, magnésio, ferro, ácido fólico, frutose, sacarose e glicose e fibras.

Os Seus Efeitos
Parece-nos que está claro o seu variadíssimo aproveitamento dietético, tanto mais quanto a sua digestibilidade é sempre magnífica. Em primeiro lugar, as bananas são um alimento muito apropriado para as crianças pequenas que as comem com gosto pelo seu sabor e perfume. É principalmente agradável pela facilidade em se descascar, oferecendo em condições higiênicas uma polpa sem sementes nem caroços. Além disso, pode esmagar-se facilmente, e também passar pela peneira, ser batida à mão ou em um liquidificador. Deste modo, o purê de banana é para o lactente entre os sete e os oito meses, um alimento rico. Tal como a maçã crua ralada, também a banana, que possui grande eficácia antidiarréica, se consumida exclusivamente, pode empregar-se nas crianças pequenas para lhes curar transtornos agudos digestivos uma grave alteração intestinal e alimentar crônica.

O regime de bananas modifica não só o desvio ácido do metabolismo, como também e, sobretudo faz aumentar simultaneamente as reservas alcalinas necessárias no sangue, o que também se pode conhecer imediatamente da maneira mais simples na modificação da reação da urina.

A boa digestibilidade, a fácil absorção da sacarose, o abundante conteúdo em vitamina C das bananas cruas e maduras, que facilitam, de combinação com o leite, as proteínas, a gordura, o cálcio e a lactose, transformam-nas num excelente alimento para doentes graves, febris e subalimentados, para as grávidas e lactantes, para os desportistas, operários braçais e para pessoas idosas com pouco apetite e formação insuficiente de suco gástrico.


Resumindo a banana tem ótimas qualidades e só tem 25 notas

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Despir-me do que aprendi

O que significa Cultura?



A cultura – palavra e conceito – é de origem romana.

A palavra “cultura” origina-se de colere – cultivar, habitar, tomar conta, criar e preservar – e relaciona-se essencialmente com o trato do homem com a natureza, no sentido do amanho e da preservação da natureza até que ela se torne adequada à habitação humana. Como tal, a palavra indica uma atitude de carinhoso cuidado e se coloca em aguda oposição a todo esforço de sujeitar a natureza à dominação do homem.

Em decorrência, não se aplica apenas ao amanho do solo, mas pode designar, outrossim, o “culto” aos deuses, o cuidado com aquilo que lhes pertence. Creio ter sido Cícero quem primeiro usou a palavra para questões do espírito e da alma. Ele fala de excolere animum, cultivar o espírito, e de cultura animi no mesmo sentido em que falamos ainda hoje de um espírito cultivado, só que não mais estamos cônscios do pleno conteúdo metafórico de tal emprego...

O significado da palavra “cultura”, porém, dificilmente é esgotado por esses elementos estritamente romanos. Mesmo a cultura animi de Cícero sugere alguma coisa como gosto e, de maneira geral, sensibilidade à beleza, mas não naqueles que fabricam coisas belas, isto é, os artistas mesmos, e sim nos espectadores, os que se movem entre elas.

E semelhante amor à beleza os gregos possuíam, é claro, em grau extraordinário. Nesse sentido, compreendemos por cultura a atitude para com, ou melhor, o modo de relacionamento prescrito pelas civilizações com respeito às menos úteis e mais mundanas coisas, as obras de artistas, poetas, músicos, filósofos e daí por diante.


Fonte: Entre o passado e o futuro, de Hannah Arendt

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Conservar a Saúde

Suco de Capim Cidreira



Ingredientes

1 maço de capim cidreira
1/2 limão
500 ml de água filtrada e gelada
adoçante à gosto


Modo de Fazer

Corte o capim e bata no liquidificador. Coe e junte o suco do limão e o adoçante. Acrescente gelo, se necessário.

Pronto! Uma bebida refrescante.


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Viver

Maça na Panela de Pressão

Foto0372
Rende 6 porções de 25 notas cada

Ingredientes
1 gelatina diet sabor de sua preferência
500 ml de água filtrada
6 maçãs descascadas, sem sementes, cortadas ao meio (usar as pequenas que são mais firmes)
cravo e canela em pau

Modo de Fazer
Em uma panela de pressão colocar as maçãs, a gelatina o cravo, a canela e por cima a água. Leve a panela tampada ao fogo. Quando começar a chiar marque 1 minuto e desligue. Não abra a panela antes de 12 horas. Conservar em geladeira.
Se preferir usar as cascas, bata-as com a água.


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Tâmaras


As palmeiras de tâmaras (Phoenix dactylifera) apresentam-se como estipes de 20 metros de altura e com uma coroa de folhas coriáceas, em número de cinquenta aproximadamente, com dois ou três metros de comprimento.  Os frutos são extraordinariamente ricos em açúcar (60 a 70 % de sacarose) e com um excelente sabor.


A composição das tâmaras em substancias nutritivas e vitaminas
100g
Proteinas   1,6
Gorduras   0,4
Hidratos de Carbonos   66
Calorias  280
Vit. A U.I.  200
Vit. B1  60
Vit. B2  50
Ácido nicotínico  2,0

Efeitos no aparelho digestivo

O seu valor dietético assenta no seu elevado conteúdo em sacarose, assim como na sua riqueza em fibras e celulose. As tâmaras empregam-se como remédio nas doenças intestinais e do estômago que decorrem com inapetência, nas alterações funcionais do fígado e nos processos patológicos das células hepáticas, nas anemias e na prisão de ventre. Pelo contrário não devem ser utilizadas nos casos de diabetes, de obesidade e nas doenças gástricas que decorrem de hipercloridria.


Apesar da recomendação de não utilizá-la, podemos comer com moderação, pois é ótima para substituir o doce e cada unidade tem aproximadamente 30 calorias ou seja 15 notas.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Vergonha de ser honesto

As Mãos, os Pés, o Estômago e o Corpo



Certo dia, as Mãos e os Pés, trocando ideias, começaram a se queixar das outras partes do corpo. No final da conversa, chegaram à conclusão que trabalhavam a vida inteira, custeando o Corpo e que tudo era mais em proveito do Estômago, que comia sem trabalho. Portanto, o Estômago que procurasse o seu sustento, porque as Mãos e os Pés não iriam mais dar-lhe de comer. O Estômago pediu muito, mas disseram que haviam tomado uma decisão. Assim, começaram a lhe negar comida, o que foi enfraquecendo-o e, com isso, o Corpo inteiro. Sentindo as Mãos e os Pés se enfraquecerem, começaram novamente a querer alimentar o Estômago, mas como a fraqueza fosse muita, nada lhes valeu, morrendo todos juntos.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Clorofila - Natureza e Propriedades


A clorofila despertou, ultimamente a nossa atenção, e contém hoje, como medicamento numerosos específicos  farmacêuticos. Há grande parentesco entre o pigmento vermelho do sangue e o pigmento verde das folhas. Ao passo que o corante sanguíneo  vermelho é portador e transmissor do oxigênio, para nós vital, a clorofila na planta efetua o grande milagre de formar uma substância orgânica (açúcar e amido) a partir de um gás (anidrido carbônico) e água, de colaboração com o sol, criando assim a base para alimentação humana. Consideramos os dois corantes como substancias vitais básicas, e interessa averiguar que efeitos diretos exerce a clorofila sobre organismo humano. 

  • O corante vegetal verde incrementa a formação de hemoglobina e o número de glóbulos vermelhos, facilitando também o funcionamento do coração, as funções intestinais e o metabolismo; 
  • Evita a contração dos vasos e faz baixar a tensão; 
  • Aumenta o rendimento muscular e nervoso, incrementa o recâmbio hídrico, regula as funções da matriz, dá um olor de frescura ao corpo e ao hálito e incrementa, em geral, o desenvolvimento dos tecidos orgânicos. 


Tudo isto quer dizer que essa maravilhosa matéria verde é um revitalizador geral para todas as células e, além disso, uma espécie de cosmético natural.

Pode haver maior justificação para a necessidade de insistirmos no consumo de verduras e de legumes frescos e verdes que contêm esse corante em grande quantidade?

Na folha verde viva existe um componente que tem o enorme poder de alimentar e de curar. Por que é que não temos isto mais frequentemente em conta?




Fonte: A cura e a saúde pelos alimentos, Dr. Ernst Schneider

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

CORTA-JACA

Neste mundo de misérias
Quem impera
É quem é mais folgazão
É quem sabe cortar jaca
Nos requebros
De suprema, perfeição, perfeição

Ai, ai, como é bom dançar, ai!
Corta-jaca assim, assim, assim
Mexe com o pé!
Ai, ai, tem feitiço tem, ai!
Corta meu benzinho assim, assim!

Esta dança é buliçosa
Tão dengosa
Que todos querem dançar
Não há ricas baronesas
Nem marquesas
Que não saibam requebrar, requebrar

Este passo tem feitiço
Tal ouriço
Faz qualquer homem coió
Não há velho carrancudo
Nem sisudo
Que não cia em trololó, trololó

Quem me vir assim alegre
No Flamengo
Por certo se há de render
Não resiste com certeza
Com certeza
Este jeito de mexer

Um flamengo tão gostoso
Tão ruidoso
Vale bem meia-pataca
Dizem todos que na ponta
Está na ponta
Nossa dança corta-jaca, corta-jaca!


Chiquinha Gonzaga